09/08/2018 Na Câmara, Assemae rebate MP que altera a Lei do Saneamento

Fonte: Assemae

Em audiência pública na Câmara dos Deputados realizada na quarta-feira, 08/08, a Assemae reforçou o seu posicionamento contrário em relação à Medida Provisória 844/2018, que altera o marco legal do saneamento básico no Brasil. Na ocasião, o presidente da entidade, Aparecido Hojaij, alertou os parlamentares sobre os efeitos negativos da MP, que apresenta riscos imediatos para o sucateamento dos serviços públicos de saneamento básico, prejudicando a população mais pobre do Brasil. O evento foi acompanhado pelo Conselho Diretor Nacional da Assemae, que também aprovou a ampliação da luta contrária à MP, em defesa do saneamento municipal.

Segundo Hojaij, a Medida Provisória afeta a titularidade dos municípios no setor de saneamento básico, prerrogativa essa já garantida pela Constituição Federal do país. “Ao condicionar a titularidade municipal aos limites da área geográfica, a MP traz uma nova confusão para o setor. Trata-se de uma clara inconstitucionalidade, pois apenas a Constituição Federal pode definir o titular de um serviço”, acrescentou.

A obrigação dos municípios realizarem chamamento público antes da celebração de contratos também foi duramente criticada pela Assemae. “Teremos aqui a ampliação da desigualdade social no Brasil, pois a iniciativa privada vai se interessar apenas pela operação em municípios rentáveis, enquanto as companhias municipais e estaduais terão que administrar os serviços sem estrutura. Quem sairá perdendo no final de tudo é a população mais pobre e marginalizada”, esclareceu Hojaij.

Outro ponto abordado pelo presidente da Assemae foi a regulação do saneamento passar a ser uma atribuição da Agência Nacional de Águas (ANA). “Não somos contrários ao estabelecimento de normas de referência nacional, mas isso é uma questão que pode ser feita pelo Ministério das Cidades, que possui expertise no assunto. O que não podemos aceitar é criar uma nova dificuldade aos municípios brasileiros, já que a MP exige o cumprimento das normas estabelecidas pela ANA como requisito para a liberação de recursos federais”, argumentou.

A MP 844 também permite a substituição dos Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB) por um simples estudo de viabilidade técnica. De acordo com Aparecido, essa mudança representa excluir a população do processo de construção das políticas públicas de saneamento. “Ao contrário do que se diz na MP, é necessário incentivar a cultura do planejamento, fortalecendo os instrumentos de gestão que promovam maior transparência, participação social e eficiência dos serviços públicos”, afirmou.

A audiência pública reuniu mais de 300 participantes, entre deputados de diversos partidos, sindicalistas, trabalhadores do setor de serviços urbanos e representantes das cinco maiores associações ligadas ao saneamento básico. Trata-se de mais uma grande demonstração pública sobre a insatisfação diante da Medida Provisória 844, conhecida popularmente como a MP da Sede e da Conta Alta, em razão de seus impactos negativos para a sociedade brasileira.

Além da Assemae, participaram do debate: Sérgio Gonçalves, diretor nacional da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES); Pedro Blois, presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU); Abelardo de Oliveira, representante da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental (FNSA); Roberto Tavares, presidente da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) Fernando Rabello Franco, presidente da Associação Brasileira das Agências de Regulação (ABAR); Cláudia Lins, supervisora da Confederação Nacional de Municípios (CNM); Iury Paulino, representante do Movimento dos Atingidos por Barragens; e Francisca Adalgisa da Silva, consultora de Projetos na Associação dos Profissionais Universitários da Sabesp (APU).

ImprimirGerar PDFEnvie para um amigo

NOTÍCIAS

Moeda Verde concorre a Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil

14/06/2024: Moeda Verde concorre a Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil

Projetos finalistas estão sendo avaliados por meio de votação popular Santo André, 13 de junho de 2024 – O Programa Moeda Verde é finalista em mais um grande prêmio nacional. Depois de vencer as premiações InovaCidade 2024, ser eleito o segundo melhor programa do Brasil com o Prêmio RAPS de Inovação e Sustentabilidade e integrar o pacote de ações de sustentabilidade que garantiu o bicampeonato de Santo André no Prêmio Band Cidades Excelentes, desta vez a iniciativa que une...

Santo André recebe Prêmio Governador Franco Montoro por projeto ambiental de agricultura urbana

05/06/2024: Santo André recebe Prêmio Governador Franco Montoro por projeto ambiental de agricultura urbana

Solenidade em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente reconheceu iniciativas de 19 cidades do Estado Santo André, 5 de junho de 2024 – No Dia Mundial do Meio Ambiente, data celebrada oficialmente nesta quarta-feira (5), Santo André foi premiada pelo Governo do Estado pelo projeto ambiental “Quintal Verde”, desenvolvido pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) com apoio do Núcleo de Inovação Social, e voltado à agricultura urbana, compostagem e educação ambiental. A entrega do...

Santo André é premiada pelo Instituto Trata Brasil por investimento em saneamento básico

28/05/2024: Santo André é premiada pelo Instituto Trata Brasil por investimento em saneamento básico

Município foi destaque na categoria “Investimentos por habitante” Santo André, 27 de maio de 2024 – Santo André é novamente destaque no cenário nacional. Nesta segunda-feira (27), o município foi premiado pelo Instituto Trata Brasil na categoria “Investimentos por habitante”, comprovando o compromisso em atender às metas previstas pelo Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) e levar qualidade de vida à população. O evento, 8ª edição do Prêmio Casos de Sucesso, ocorreu na sede da Fundação Getúlio Vargas (FGV),...

Comunidades atendidas pelo Moeda Verde recebem representantes de Campinas e Parauapebas

27/05/2024: Comunidades atendidas pelo Moeda Verde recebem representantes de Campinas e Parauapebas

Objetivo da troca de experiências é implementar ações similares nestas cidades Santo André, 24 de maio de 2024 – Mais uma vez, o interesse em expandir ações semelhantes ao programa Moeda Verde, que troca resíduos recicláveis por alimentos hórtifrutis, despertou interesse de outros municípios. Nesta quinta e sexta-feira (23 e 24), Santo André recebeu a visita de dois representantes interessados em implementar ação socioambiental semelhante em suas respectivas cidades. O deputado estadual por Campinas (SP), Rafael Zambaldi, participou da...