25/06/2018 Economia colaborativa é tema de seminário no Junho Verde

Semasa e Prefeitura promoveram encontro com especialistas
Santo André, 23 de junho de 2018 – Diante de um planeta que passa por profundas mudanças sociais e econômicas, quais são as alternativas de gestão de recursos que mais se aproximam da sustentabilidade social e ambiental? Uma dessas alternativas, a economia colaborativa, foi tema de um seminário promovido neste sábado (23) pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente. 
Parte dos eventos do Mês do Meio Ambiente, o encontro trouxe para o debate especialistas, que contaram para uma plateia majoritariamente de estudantes, exemplos desta nova prática de gestão da economia.
“O colaborar é uma ferramenta de organização e transformação do mundo”, explicou Camila Haddad, mestre em meio ambiente e especialista em economia colaborativa e desenvolvimento sustentável. Para ela, o colaborar proporciona um outro olhar para a solução dos problemas atuais da sociedade, principalmente porque usa recursos que já existem. “É preciso ficar claro que as coisas finitas não são necessariamente escassas”, salientou, ao lembrar que toda matéria é cíclica e tem capacidade de transformação.
O conceito de riqueza foi principal ponto da apresentação da jornalista e agricultora urbana Claudia Visoni, uma das fundadoras do grupo Hortelões Urbanos. “A riqueza hoje está associada a dinheiro no banco, mas o que tem valor real é o que precisamos para viver: água, ar, moradia, alimento, energia. É para isso que temos de focar o nosso olhar. A economia formal está em crise e não parece olhar para o meio ambiente”, disse.
Claudia também explicou os conceitos da permacultura – a cultura da permanência, que tem por objetivo fazer com que os assentamentos humanos sejam ecologicamente corretos e viáveis, e por consequência sustentáveis para as futuras gerações. Os três princípios éticos da permacultura são cuidar das pessoas, cuidar da natureza e partilhar o excedente.
Fábio Hideki Takara, que é idealizador da Firgun – uma plataforma de empréstimos coletivos – contou um pouco sobre sua experiência com economia colaborativa no mundo financeiro. “Quando colocamos nosso dinheiro em um grande banco, não sabemos em qual projeto ele vai investi-lo. Na plataforma colaborativa você sabe onde investiu e sabe que o seu dinheiro também vai girar uma economia local, causando um bem social”, disse.
A conexão pelo bem coletivo também foi um dos temas da apresentação de Gabriel Menezes, do Instituto Auá de Empreendedorismo Socioambiental, organizador da Rota do Cambuci. “Esta nova proposta de economia percebe pessoas não movidas pelo luxo, mas que querem se conectar pelo bem coletivo, por uma causa”, disse. Para ele, o compartilhar é o presente e o futuro. “A qualidade de vida você não vai conseguir competindo, mas sim colaborando”, finalizou.
O seminário aconteceu no Anfiteatro Heleny Guariba, no Paço Municipal. Confira a programação do Junho Verde https://junhoverde2018.wixsite.com/mesdomeioambiente
ImprimirGerar PDFEnvie para um amigo

NOTÍCIAS

Portal de educação ambiental do Semasa ultrapassa fronteiras e tem acesso em 16 países

15/02/2024: Portal de educação ambiental do Semasa ultrapassa fronteiras e tem acesso em 16 países

Hendu foi criado em 2020 para sensibilizar o público infantil sobre as questões ambientais e estimular o contato com a natureza Santo André, 15 de fevereiro de 2024 – O portal Hendu, espaço de educação e sensibilização ambiental do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), ganhou notoriedade nacional e internacional. A plataforma já é acessada em 14 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e em 16 países. Lançado em 5 de junho de 2021 para que...

Santo André vence prêmio Cidades Educadoras com projeto de educação ambiental do Semasa

09/02/2024: Santo André vence prêmio Cidades Educadoras com projeto de educação ambiental do Semasa

Trabalho andreense foi reconhecido junto a iniciativas do México e de Portugal Santo André, 8 de fevereiro de 2024 – Sensibilização ambiental, participação e respeito pelo planeta. Estes e outros atributos estão presentes no projeto Água, Câmera e Ação, iniciativa realizada pela Gerência de Educação Ambiental do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e que acaba de ser premiada como uma das três melhores no Prêmio Internacional Cidades Educadoras 2024. O trabalho concorreu com outras 66...

Santo André chega ao número de 30 Estações de Coleta

07/02/2024: Santo André chega ao número de 30 Estações de Coleta

Município se tornou o maior do Brasil em quantidade de ecopontos, proporcionalmente à sua população Vídeo: https://we.tl/t-ByIv8z8on6   Santo André, 7 de fevereiro de 2024 – Um ecoponto para cada 25 mil moradores. É isso o que a cidade de Santo André proporciona à sua população, de 748.919 habitantes. Nesta quarta-feira (7), com a abertura da Estação de Coleta Parque Marajoara, a cidade conquista o seu 30⁰ ecoponto, consagrando-se como o município brasileiro, proporcionalmente ao total de residentes, que...

Prefeito da cidade de João Ramalho conhece programa Moeda Verde

02/02/2024: Prefeito da cidade de João Ramalho conhece programa Moeda Verde

Município do interior de São Paulo já é o segundo deste ano a se interessar pela iniciativa andreense Santo André, 1º de fevereiro de 2024 – O programa Moeda Verde segue conquistando os olhares e as atenções dos gestores públicos do Estado. Nesta quinta-feira (1º), representantes da cidade de João Ramalho estiveram em Santo André para conhecer de perto a iniciativa andreense que troca resíduos recicláveis por alimentos hortifrútis, contribuindo para a limpeza do município, o bem-estar e qualidade...