Santo André, 24 de setembro de 2015 – Após dois anos de discussão, que envolveram Prefeitura, Semasa e população, Santo André tem agora, aprovada pela Câmara de vereadores e sancionada pela prefeito Carlos Grana, sua Política Municipal de Educação Ambiental (PMEA). Com ela, a cidade passa a ser a primeira do ABC a adotar uma legislação específica para área, em conformidade com leis federais e estaduais que regulamentam a questão. A íntegra da lei foi publicada ontem (23/9) e pode ser consultada pelo site da Câmara dos Vereadores.

A Educação Ambiental busca, através de um processo permanente e participativo, despertar nas pessoas valores, atitudes, conhecimentos e competências que levem a uma transformação da relação do ser humano com o meio em que vive. A ideia é que, com a Educação Ambiental, se estimule o convívio sustentável do indivíduo com o meio ambiente.Uma política específica para a cidade vem fortalecer este princípio, considerando as particularidades do local.

Amplo processo participativo – Importante característica da Política Municipal de Educação Ambiental de Santo André é a sua elaboração, que se deu através de um amplo processo participativo, que contou com vários setores do Semasa e também da Prefeitura.

Internamente, o Departamento de Gestão Ambiental coordenou o processo, mas as discussões envolveram os departamentos de Defesa Civil e de Resíduos Sólidos, além das coordenadorias de Assuntos Jurídicos e Comunicação Social. Pela Prefeitura, houve o envolvimento ativo das secretarias de Educação, de Saúde e de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense

Também importante para a construção da lei foi o envolvimento da população, que atuou ativamente durante debates públicos realizados na cidade e também enviando sugestões pela internet. Foram organizadas reuniões informativas com moradores da área de manancial, com organizações sociais, com profissionais da Saúde e da Educação e também com os conselhos municipais da cidade. Em março, também foi realizada uma conferência municipal aberta ao público, quando o texto produzido até então foi debatido com os participantes.

Agora, um Órgão Gestor e um Comitê Municipal de Educação Ambiental serão formados para acompanhar o cumprimento da lei.

política municipal de educação ambiental

Santo André, 24 de setembro de 2015 – Após dois anos de discussão, que envolveram Prefeitura, Semasa e população, Santo André tem agora, aprovada pela Câmara de vereadores e sancionada pela prefeito Carlos Grana, sua Política Municipal de Educação Ambiental (PMEA). Com ela, a cidade passa a ser a primeira do ABC a adotar uma legislação específica para área, em conformidade com leis federais e estaduais que regulamentam a questão. A íntegra da lei foi publicada ontem (23/9) e pode ser consultada pelo site da Câmara dos Vereadores. A Educação Ambiental busca, através de um processo permanente e participativo, despertar nas pessoas valores, atitudes, conhecimentos e competências que levem a uma transformação da relação do ser humano com o meio em que vive. A ideia é que, com a Educação Ambiental, se estimule o convívio sustentável do indivíduo com o meio ambiente.Uma política específica para a cidade vem fortalecer este princípio, considerando as particularidades do local. Amplo processo participativo – Importante característica da Política Municipal de Educação Ambiental de Santo André é a sua elaboração, que se deu através de um amplo processo participativo, que contou com vários setores do Semasa e também da Prefeitura. Internamente, o Departamento de...

Leia mais

Santo André, 26 de março de 2015 – Com o objetivo de debater de modo aprofundado a proposta da lei da Política Municipal de Educação Ambiental (PMEA) e construir a política de forma participativa, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e a Prefeitura de Santo André realizam no próximo sábado a Conferência Municipal sobre a PMEA. O encontro acontecerá a partir das 8h no anfiteatro David Uip, localizado na Faculdade de Medicina do ABC. A Conferência tem o intuito de reunir membros do governo e a sociedade civil para discutir as prioridades da nova lei. Durante a conferência, serão organizados grupos temáticos que apresentarão seus resultados a uma grande plenária para serem apreciados e, posteriormente, encaminhados para deliberação. Os grupos temáticos serão assim subdivididos: – Princípios e Objetivos da Educação Ambiental – Diretrizes e Competências e Programa Municipal de Educação Ambiental – Educação Ambiental no Ensino Formal – Educação Ambiental no Ensino Não Formal – Gestão da Política de Educação Ambiental Além dos grupos de discussão, serão escolhidos dez representantes da sociedade civil, presentes na Conferência, para compor uma Comissão de Sistematização desta lei. Consulta pública – O Semasa lançou na semana passada um hotsite...

Leia mais