Serviços foram planejados dentro dos Estudos de Impacto de Vizinhança (EIVs) e são fiscalizados pelo Semasa

Santo André, 24 de maio de 2016 – O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) está fiscalizando a implantação na cidade, por cinco empreendedores privados, de um novo piscinão e de mais 6.500 metros de redes, sendo 3.600 metros de água, 1.850 metros de rede de esgoto e 1.030 metros de galerias de água pluviais. As obras, executadas também por exigência do Semasa, se mostraram necessárias a partir dos Estudos de Impacto de Vizinhança (EIVs), uma exigência legal que as construtoras devem cumprir quando seu empreendimento vai causar grande interferência no entorno.

Atualmente, estão a todo vapor obras na avenida Industrial e no bairro Jardim . Para compensar os impactos causados pelos empreendimentos Jardim Park e Cidade Viva, na Industrial, as construtoras Brookfield e Odebrecht, respectivamente, estão implantando novas redes de água e de esgoto e galerias de águas pluviais.

“As redes implantadas não serão exclusivas dos novos empreendimentos. Muito pelo contrário, elas permitem a interligação com as redes já existentes nos bairros pelas quais passam. Essa é a nossa exigência. No caso da rede de água, por exemplo, a garantia é a melhora no abastecimento de água de regiões abastecidas pelo reservatório Gonzaga”, explica o diretor de Planejamento e Obras do Semasa, Roberto Silveira Jr. Na Industrial e no bairro Jardim, só a Odebrecht está construindo 1.400 metros de redes de água, além de 70 metros de rede esgoto e 300 metros de galerias de águas pluviais. Já a Brookfield faz outros mil metros de rede de água na avenida.

As obras de compensação são realizadas sem custo para o Semasa ou mesmo para a Prefeitura. A fiscalização do poder público, porém, garante a qualidade do trabalho e do material empregado. No final da construção, a obra passa a fazer parte do patrimônio público da cidade.

Novo piscinão – Outra obra importante de compensação é o novo piscinão na Vila Homero Thon. Executado pela Brookfield em contrapartida à construção do complexo Atrium (shopping e torres comerciais e residenciais), o tanque, que entrará em operação no próximo verão, é subterrâneo e tem capacidade para 2.300m³ de água pluvial. Localizado ao lado do complexo, entre a rua Maestro Leonid Urbenin e avenida Giovani Batista Pirelli, o equipamento será uma importante ferramenta no combate às enchentes na região. Sobre o piscinão será construída uma praça e, em seu entorno, já foram implantadas novas redes de drenagem, água e esgoto.

As construtoras MRV, Conx e Queirós Galvão também executam obras de compensação na cidade fiscalizadas pelo Semasa. As empresas estão erguendo edifícios em Utinga, no Parque das Nações e na Vila Curuçá, respectivamente, e fazem extensão das redes de água, esgoto e drenagem na região. As três companhias são responsáveis por 1.380 metros de novas redes de água, 750 metros de galerias de águas pluviais e 1.780 metros de nova rede de esgoto.

EIVs

Serviços foram planejados dentro dos Estudos de Impacto de Vizinhança (EIVs) e são fiscalizados pelo Semasa Santo André, 24 de maio de 2016 – O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) está fiscalizando a implantação na cidade, por cinco empreendedores privados, de um novo piscinão e de mais 6.500 metros de redes, sendo 3.600 metros de água, 1.850 metros de rede de esgoto e 1.030 metros de galerias de água pluviais. As obras, executadas também por exigência do Semasa, se mostraram necessárias a partir dos Estudos de Impacto de Vizinhança (EIVs), uma exigência legal que as construtoras devem cumprir quando seu empreendimento vai causar grande interferência no entorno. Atualmente, estão a todo vapor obras na avenida Industrial e no bairro Jardim . Para compensar os impactos causados pelos empreendimentos Jardim Park e Cidade Viva, na Industrial, as construtoras Brookfield e Odebrecht, respectivamente, estão implantando novas redes de água e de esgoto e galerias de águas pluviais. “As redes implantadas não serão exclusivas dos novos empreendimentos. Muito pelo contrário, elas permitem a interligação com as redes já existentes nos bairros pelas quais passam. Essa é a nossa exigência. No caso da rede de água, por exemplo, a...

Leia mais