Mais de 200 mil toneladas de recicláveis foram reaproveitadas pelas indústrias e deixaram de ter como destino o Aterro Sanitário Municipal

Santo André 23 de maio de 2022 – Foi em 1997, na Vila Pires, que Santo André começou o projeto piloto para implantar o Programa de Coleta Seletiva. O município tornou-se o primeiro da região do ABC a ter o serviço de coleta de resíduos secos porta a porta, permitindo que mais de 200 mil toneladas de metal, papelão, plástico e vidro fossem reaproveitadas pelas indústrias, evitando que esses materiais comprometessem a vida útil do Aterro Sanitário Municipal.

Ao longo desses anos, o trabalho, executado pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) desde 1999, passou por importantes transformações, avanços e inovações. Em 2000, a coleta seletiva já ocorria em 100% do município. Com isso, Santo André foi a primeira cidade do Estado de São Paulo a ter o serviço em todo o seu território.

A partir de 2017, o índice de reaproveitamento de recicláveis, que estava em 12%, triplicou. Isso foi possível pelo aumento do número de Estações de Coleta, campanhas educativas e implantação de programas socioambientais, como o Moeda Verde (que incentiva a troca de recicláveis em comunidades por frutas, legumes e verduras), Moeda Pet (que possibilita a troca de garrafas plásticas por ração para cães e gatos) e o Meu Condomínio Recicla (que fortalece a separação de resíduos em prédios residenciais, que são grandes geradores).

“A coleta seletiva é marca de excelência do serviço na nossa cidade. Movimenta as cooperativas, gera emprego e renda e faz de Santo André referência em inovação e sustentabilidade. Desta iniciativa, outros importantes programas saíram do papel, como o Moeda Verde, que troca recicláveis por alimentos, e o Moeda Pet, que troca garrafas PET por ração animal”, destaca o prefeito Paulo Serra.

O coletor Marinaldo do Espírito Santo, de 48 anos, trabalha praticamente desde o início da implantação da coleta seletiva porta a porta e até hoje recolhe materiais das ruas, percorrendo, em média, 30 quilômetros por dia. Segundo ele, a transformação do cenário foi significativa. “Antigamente era pouca gente que separava, hoje já melhorou muito e está mais organizado. O meu trabalho melhora a cidade e a limpeza, por isso tenho orgulho. Se fosse tudo misturado no lixo orgânico, o aterro já não teria suportado”, comenta.

Para ampliar ainda mais a reciclagem, no fim deste ano, Santo André entregará mais 10 Estações de Coleta à população, chegando a 30 ecopontos para receber resíduos recicláveis, madeira, eletroeletrônicos, entulho, móveis, pneus e estofados.

“Esses equipamentos, que são públicos, incentivam o descarte correto dos materiais, ajudam a aumentar a vida útil do aterro e possibilitam que o Semasa possa economizar recursos que seriam gastos com a limpeza de pontos de descarte irregular de resíduos, podendo investir em iniciativas para melhorar ainda mais a gestão de resíduos sólidos”, explica o superintendente do Semasa, Gilvan Junior. Com as novas unidades, Santo André será a cidade brasileira com a maior rede de ecopontos, proporcionalmente à sua população.

Outra ação fundamental para otimizar a gestão de resíduos foi a assinatura do contrato com as cooperativas de reciclagem que atuam em Santo André – a Coopcicla e a Cidade Limpa, o que permitiu a regulamentação e oficialização de suas operações. O contrato estabeleceu direitos e deveres entre as partes, com base na Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com isso, as cooperativas passaram a ser recompensadas pelo município, com um pagamento extra de R$ 45,12 para cada tonelada de recicláveis que deixa de ser aterrada. À época, ficou acordado que o percentual de rejeitos não deveria ser superior a 30% do volume triado.

As cooperativas empregam mais de 100 pessoas que fazem a recepção, triagem, compactação e venda de recicláveis às indústrias. Por ano, o Semasa coleta mais de 11,4 mil toneladas de resíduos secos. “É o lixo, mas foi dali que a gente levantou muita gente. Não só eu, como várias famílias que estão aqui dentro e precisam desse trabalho. Nosso trabalho também é importante, nós estamos ajudando o meio ambiente. Então, precisamos também que as pessoas colaborem com a gente”, pontua Sandra Maria, cooperada há 16 anos da Coopcicla.

O caminhão de coleta seletiva passa uma vez por semana em todo o território, com exceção dos bairros Centro e Casa Branca, onde o veículo circula diariamente, devido à grande geração de resíduos. No site do Semasa (www.semasa.sp.gov.br) é possível consultar os dias e horários da execução do serviço. Na plataforma também estão disponíveis os endereços das 20 Estações de Coleta que existem até o momento.

Resíduos Sólidos

Mais de 200 mil toneladas de recicláveis foram reaproveitadas pelas indústrias e deixaram de ter como destino o Aterro Sanitário Municipal Santo André 23 de maio de 2022 – Foi em 1997, na Vila Pires, que Santo André começou o projeto piloto para implantar o Programa de Coleta Seletiva. O município tornou-se o primeiro da região do ABC a ter o serviço de coleta de resíduos secos porta a porta, permitindo que mais de 200 mil toneladas de metal, papelão, plástico e vidro fossem reaproveitadas pelas indústrias, evitando que esses materiais comprometessem a vida útil do Aterro Sanitário Municipal. Ao longo desses anos, o trabalho, executado pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) desde 1999, passou por importantes transformações, avanços e inovações. Em 2000, a coleta seletiva já ocorria em 100% do município. Com isso, Santo André foi a primeira cidade do Estado de São Paulo a ter o serviço em todo o seu território. A partir de 2017, o índice de reaproveitamento de recicláveis, que estava em 12%, triplicou. Isso foi possível pelo aumento do número de Estações de Coleta, campanhas educativas e implantação de programas socioambientais, como o Moeda Verde (que incentiva a troca...

Leia mais

Equipe do interior paulista deseja implantar iniciativa semelhante na cidade   Santo André, 13 de maio de 2022 – Moradores do Núcleo Pintassilva receberam nesta sexta-feira (13) a visita de representantes da prefeitura e da Câmara Municipal de São Carlos, cidade do interior de São Paulo, que vieram conhecer mais sobre o programa Moeda Verde.   A comitiva era formada pelo secretário de Agricultura e Abastecimento, Wellington Fábio Cervini; por representante da Secretaria de Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação; pela Chefia de Gabinete da prefeitura; e pelo vereador Rodson Magno do Carmo. Todos foram recebidos pelo superintendente do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), Gilvan Junior, e pela presidente do Fundo Social de Solidariedade de Santo André, Ana Claudia de Fabris.   A proposta da agenda foi conhecer melhor a sistemática de funcionamento do programa andreense que troca alimentos por resíduos recicláveis em 21 comunidades carentes, e que é realizado em parceria pela Prefeitura, Semasa e Banco de Alimentos. Desde que foi criado, em 2017, o programa Moeda Verde se tornou exemplo de iniciativa pública e tem atraído representantes de municípios e autoridades de todo o país.   Recentemente, representantes de Leme estiveram nas trocas...

Leia mais

Parceria inédita na região pretende oferecer mais controle quanto à responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida e reaproveitamento de um produto   Santo André, 10 de maio de 2022 – Para ampliar os índices de reciclagem e fortalecer o processo de logística reversa em Santo André, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), a Cetesb e a USP – por meio da Escola Politécnica – assinaram um protocolo de intenções para implantação de um projeto piloto que pretende mapear a quantidade, o peso e tipo de embalagem de resíduos recicláveis que são produzidas e comercializadas no município.   A iniciativa, que também tem apoio do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, do Conselho Municipal de Política Urbana, da Associação Amigos da Poli e do GS1, é inédita e pioneira na região e foi intitulada de ‘Recicla Santo André’.   Por meio da entidade RECICLA, a ideia é desenvolver uma tecnologia de rastreabilidade e big data que permita acompanhar o ciclo de vida das embalagens recicláveis, agregando todas as informações ao Cadastro Nacional de Produtos.   “Com essa iniciativa, Santo André terá uma importante ferramenta de controle dos produtos gerados no município, que servirá, inclusive, para a tomada de...

Leia mais

População poderá descartar estes materiais em mais ecopontos, trazendo mais comodidade aos munícipes   Santo André, 2 de maio de 2022 – Com o objetivo de facilitar o descarte de resíduos de poda de vegetação e telhas de amianto, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) passou a oferecer o recebimento destes materiais em mais Estações de Coleta a partir desta segunda-feira (2).   Chamados também de resíduos verdes, a poda de vegetação poderá ser descartada em mais sete locais, nos ecopontos Cerquilho, Grajaú, Irene, Loreto, Sacadura Cabral, Utinga e Paranapiacaba. Antes, apenas quatro equipamentos estavam preparados para fazer o recebimento destes resíduos – Estações Ipanema, Erechim, Bom Pastor e Antonina.   No caso das telhas e caixas d’água de amianto, cinco novas Estações de Coleta passarão a recolher estes resíduos dos munícipes: Cata Preta, Cerquilho, Paraíso, Ipanema e Sorocaba, totalizando sete ecopontos na cidade (contando com as Estações Antonina e Bom Pastor).   O amianto, em especial, é um material nocivo à saúde, tendo sido classificado como cancerígeno. A sua fabricação é proibida no Brasil desde 2017, mas muitas residências ainda contam com construções que possuem este tipo de produto – em telhados e em...

Leia mais

São Paulo, 29 de abril de 2022 – Comprometida a trabalhar em ações voltadas às práticas sustentáveis, a Braskem se uniu à startup SOLOS, à Prefeitura de Santo André, ao Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e à cooperativa Cidade Limpa para realizar o Braskem recicla no município do ABC. A ação, que ocorrerá entre os dias 29 de abril a 5 de maio, no Parque Celso Daniel, pretende coletar 7 toneladas de resíduos que serão encaminhados para reciclagem, além de gerar cerca de R$ 7 mil em renda a ser revertida para as cooperativas parceiras, por meio de contratação e venda do material arrecadado. Para participar da ação, a população poderá levar à “Estação de Reciclagem e Educação Ambiental” seus resíduos recicláveis, como itens de plástico, papel, papelão, óleo de cozinha, eletrônicos e eletrodomésticos, metais ou vidro, desde que estejam higienizados e sem sobras de comidas ou líquidos para o descarte correto.  Os participantes do Braskem recicla ainda poderão visitar a exposição “Meu lixo vai para onde eu levar”, uma atração voltada para adultos e crianças que tem por objetivo esclarecer sobre a importância da economia circular, além de atividades que inspiram a prática de...

Leia mais

  Licença de operação emitida pela Cetesb era o último passo para utilização da nova área Santo André, 27 de abril de 2022 – O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) obteve da Cetesb a Licença de Operação (LO) para início da disposição de resíduos na fase 2 de ampliação do Aterro Sanitário municipal. O prefeito Paulo Serra realizou vistoria no equipamento nesta quarta-feira (27), quando teve início a operação. “Começamos hoje a operar a ampliação do aterro municipal. Esta é uma obra que, apesar de não ser perceptível no dia a dia da população, tem impacto direto na qualidade de vida na nossa cidade”, afirma o prefeito Paulo Serra. O aterro de Santo André é o único equipamento público da região e, ao utilizar o novo espaço – evitando que o lixo seja disposto em um aterro particular – a economia esperada é de aproximadamente R$ 40 milhões (valor equivalente ao período em que o local poderá continuar recebendo resíduos, até que cesse a sua vida útil). A área liberada nesta etapa é de 17.970 metros quadrados, e permitirá receber resíduos por dois anos. Há ainda uma outra etapa de ampliação, cujos estudos e processos...

Leia mais