09/08/2018 Na Câmara, Assemae rebate MP que altera a Lei do Saneamento

Fonte: Assemae

Em audiência pública na Câmara dos Deputados realizada na quarta-feira, 08/08, a Assemae reforçou o seu posicionamento contrário em relação à Medida Provisória 844/2018, que altera o marco legal do saneamento básico no Brasil. Na ocasião, o presidente da entidade, Aparecido Hojaij, alertou os parlamentares sobre os efeitos negativos da MP, que apresenta riscos imediatos para o sucateamento dos serviços públicos de saneamento básico, prejudicando a população mais pobre do Brasil. O evento foi acompanhado pelo Conselho Diretor Nacional da Assemae, que também aprovou a ampliação da luta contrária à MP, em defesa do saneamento municipal.

Segundo Hojaij, a Medida Provisória afeta a titularidade dos municípios no setor de saneamento básico, prerrogativa essa já garantida pela Constituição Federal do país. “Ao condicionar a titularidade municipal aos limites da área geográfica, a MP traz uma nova confusão para o setor. Trata-se de uma clara inconstitucionalidade, pois apenas a Constituição Federal pode definir o titular de um serviço”, acrescentou.

A obrigação dos municípios realizarem chamamento público antes da celebração de contratos também foi duramente criticada pela Assemae. “Teremos aqui a ampliação da desigualdade social no Brasil, pois a iniciativa privada vai se interessar apenas pela operação em municípios rentáveis, enquanto as companhias municipais e estaduais terão que administrar os serviços sem estrutura. Quem sairá perdendo no final de tudo é a população mais pobre e marginalizada”, esclareceu Hojaij.

Outro ponto abordado pelo presidente da Assemae foi a regulação do saneamento passar a ser uma atribuição da Agência Nacional de Águas (ANA). “Não somos contrários ao estabelecimento de normas de referência nacional, mas isso é uma questão que pode ser feita pelo Ministério das Cidades, que possui expertise no assunto. O que não podemos aceitar é criar uma nova dificuldade aos municípios brasileiros, já que a MP exige o cumprimento das normas estabelecidas pela ANA como requisito para a liberação de recursos federais”, argumentou.

A MP 844 também permite a substituição dos Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB) por um simples estudo de viabilidade técnica. De acordo com Aparecido, essa mudança representa excluir a população do processo de construção das políticas públicas de saneamento. “Ao contrário do que se diz na MP, é necessário incentivar a cultura do planejamento, fortalecendo os instrumentos de gestão que promovam maior transparência, participação social e eficiência dos serviços públicos”, afirmou.

A audiência pública reuniu mais de 300 participantes, entre deputados de diversos partidos, sindicalistas, trabalhadores do setor de serviços urbanos e representantes das cinco maiores associações ligadas ao saneamento básico. Trata-se de mais uma grande demonstração pública sobre a insatisfação diante da Medida Provisória 844, conhecida popularmente como a MP da Sede e da Conta Alta, em razão de seus impactos negativos para a sociedade brasileira.

Além da Assemae, participaram do debate: Sérgio Gonçalves, diretor nacional da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES); Pedro Blois, presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU); Abelardo de Oliveira, representante da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental (FNSA); Roberto Tavares, presidente da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) Fernando Rabello Franco, presidente da Associação Brasileira das Agências de Regulação (ABAR); Cláudia Lins, supervisora da Confederação Nacional de Municípios (CNM); Iury Paulino, representante do Movimento dos Atingidos por Barragens; e Francisca Adalgisa da Silva, consultora de Projetos na Associação dos Profissionais Universitários da Sabesp (APU).

ImprimirGerar PDFEnvie para um amigo

NOTÍCIAS

Brinquedos descartados nas Estações de Coleta levam alegria para crianças de comunidade carente

18/06/2021: Brinquedos descartados nas Estações de Coleta levam alegria para crianças de comunidade carente

Semasa distribuiu objetos, entregues por moradores de Santo André, em evento inédito realizado no núcleo Eucaliptos Santo André, 18 de junho de 2021 – As Estações de Coleta de Santo André são fundamentais para estimular o descarte correto de resíduos recicláveis, entulho, eletroeletrônicos, dentre outros, mas os ecopontos também se consolidaram como espaço para doação de brinquedos. Com a grande quantidade de objetos que são levados pelos moradores da cidade, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo...

Moeda Verde chega à comunidade Lamartine, no Jardim Santo André

17/06/2021: Moeda Verde chega à comunidade Lamartine, no Jardim Santo André

Núcleo é o décimo sexto a integrar o programa; expansão faz parte do Plano de Metas da Prefeitura Santo André, 17 de junho de 2021 – A Prefeitura de Santo André, por meio do Banco de Alimentos do Fundo Social de Solidariedade, e o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) iniciaram nesta quinta-feira (17) as trocas do Programa Moeda Verde junto ao núcleo Lamartine, no Jardim Santo André. A ação é parte da programação especial do...

Semasa lança minicurso on-line sobre a importância da polinização para sustentabilidade do planeta

16/06/2021: Semasa lança minicurso on-line sobre a importância da polinização para sustentabilidade do planeta

Formação inédita é totalmente gratuita e integra agenda do Junho Verde Santo André, 16 de junho de 2021 – O processo de polinização é indispensável para a indústria da agricultura e a produção de alimentos, mas os insetos e animais responsáveis por este trabalho estão ameaçados por causa do desmatamento, mudanças climáticas e uso de agrotóxicos. Para falar deste tema tão importante, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) promove neste mês o minicurso inédito “De...

Complexo Viário Cassaquera celebra um ano de transformações em Santo André

11/06/2021: Complexo Viário Cassaquera celebra um ano de transformações em Santo André

Obras de saneamento, infraestrutura, drenagem e mobilidade urbana eram aguardadas há décadas pelos moradores Santo André, 11 de junho de 2021 – Há mais de 30 anos, o aposentado José Fernando de Almeida, de 73 anos, já ouvia falar de projetos de saneamento e infraestrutura urbana no córrego Cassaquera e na avenida Luiz Ignácio de Anhaia Mello, em Santo André. Após anos de espera, em 2020, a atual gestão da Prefeitura e o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental...