08/03/2016 Cade decide pela instauração de Inquérito para apuração de infrações à ordem econômica em desfavor da Sabesp

Órgão administrativo ligado ao Ministério da Justiça vai investigar a companhia estadual por possível prática discriminatória no valor que cobra pela água no atacado dos serviços autônomos

Santo André, 08 de março de 2016 – O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão ligado ao Ministério da Justiça, acolheu as razões apresentadas pelo Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) e instaurou, na última sexta-feira, Inquérito Administrativo para Apuração de Infração à Ordem Econômica contra a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) por potencial prática de preço discriminatório da água vendida no atacado aos municípios autônomos, como é o caso de Santo André. O Cade ouviu alguns prestadores de serviço autônomos, caso de Guarulhos, por exemplo, e destacou em sua análise “que as respostas apresentadas (…) indicam que os preços praticados pela Sabesp podem ser, efetivamente, discriminatórios”.

O requerimento do Semasa foi entregue ao Cade em 11 de novembro de 2015. Nele, o Semasa pedia a abertura de Inquérito Administrativo contra a Sabesp para Apuração de Infração à Ordem Econômica, uma vez que a companhia estadual possui poder de monopólio da água no atacado e vem praticando preços abusivos (discriminatórios) que sufocam financeiramente os serviços autônomos na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Endividados, muitos deles já entregaram seus serviços de varejo à própria Sabesp em troca do pagamento das “dívidas” adquiridas ao longo dos anos.

De acordo com a nota técnica do Cade, foram enviados ofícios à Arsesp e a distribuidoras de água no varejo que atuam em outros municípios. Foram ouvidos os serviços de São Caetano do Sul, Mogi das Cruzes e Guarulhos.

De acordo com informações de São Caetano, o município é “totalmente dependente da água produzida e fornecida no atacado pela Sabesp e que nunca recebeu a composição de custos que representa o preço cobrado para o tratamento e a entrega do metro cúbico da água produzida”. Já Mogi, através do Semae, informou que “existem diferenciações de valores cobrados pela Sabesp no atacado e no varejo” e que o órgão “não tem conhecimento dos critérios de definição de preços praticados pela Sabesp, apenas se enquadrando nos preços tabelados”.

Guarulhos, por meio do SAAE, criticou o corte da água entregue ao município pela Sabesp, o que teria impactado na qualidade dos serviços na cidade, e disse que a tarifa da companhia estadual está “muito acima do razoável”, comprometendo a sustentabilidade da prestação de serviços por parte do SAEE.

Com o requerimento do Semasa admitido pelo Cade, começa a fase de investigação, que pode levar 60 dias, prorrogáveis por igual período. Após a investigação, haverá o julgamento final do pedido, com a decisão do órgão federal sobre se há ou não prática de preços discriminatórios que comprometem e até inviabilizam a prestação dos serviços autônomos de saneamento pelos municípios, especialmente na RMSP.

Caso a investigação confirme as alegações apresentadas pelo Semasa em desfavor da Sabesp, a companhia estadual poderá estar sujeita às seguintes penalidades: 1) ressarcir os danos causados aos municípios pelas cobranças excessivas; 2) multa pecuniária; 3) obrigar que as operações de atacado e de varejo sejam operadas por pessoas jurídicas distintas, podendo ainda haver a determinação de que tais pessoas jurídicas possuam controladores diferentes.

ImprimirGerar PDFEnvie para um amigo

NOTÍCIAS

Com aumento de casos de coronavírus, Semasa reforça desinfecção de ruas e avenidas

27/02/2021: Com aumento de casos de coronavírus, Semasa reforça desinfecção de ruas e avenidas

Serviço de limpeza é feito principalmente próximo a unidades de saúde, hospitais de campanha e locais onde há maior fluxo de pessoas Santo André, 27 de fevereiro de 2021 – Em meio ao aumento de diagnósticos positivos do novo coronavírus, as equipes do setor de drenagem do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) intensificaram os trabalhos de desinfecção de ruas e avenidas do município, o que ajuda a prevenir novos casos de contágio. A limpeza das...

Santo André intensifica diálogo social para promover maior transparência sobre o Complexo Viário Cassaquera

26/02/2021: Santo André intensifica diálogo social para promover maior transparência sobre o Complexo Viário Cassaquera

Santo André, 26 de fevereiro de 2021 – Com o objetivo de promover uma maior aproximação dos moradores de Santo André com as obras do Complexo Viário Cassaquera, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) voltou a realizar reuniões com a população. Nesta semana, nos dias 23 e 25, profissionais da autarquia se reuniram com pessoas que residem nos bairros Centreville, Parque Gerassi, Vila Guarani e Vila Homero Thon para apresentar informações sobre as obras de canalização...

Semasa abre licitação para construção de dez Estações de Coleta

24/02/2021: Semasa abre licitação para construção de dez Estações de Coleta

Expectativa é entregar os novos equipamentos ainda neste ano Santo André, 24 de fevereiro – O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) abriu nesta quarta-feira (24) licitação internacional para contratar empresa para construir mais dez Estações de Coleta na cidade. A execução do projeto executivo dos novos equipamentos e as obras fazem parte do Programa Sanear Santo André, cujas intervenções são financiadas parcialmente pela CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina. A previsão da autarquia...

Semasa e GCM firmam parceria para coibir furto de equipamentos de drenagem na Vila Luzita

19/02/2021: Semasa e GCM firmam parceria para coibir furto de equipamentos de drenagem na Vila Luzita

Desde janeiro, 19 ralos grelhas sumiram do calçadão na rua Alcides Maia; falta de dispositivos pode ocasionar acidentes e alagamentos Santo André, 19 de fevereiro de 2021 – O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e a GCM (Guarda Civil Municipal) estão trabalhando juntos para coibir um problema que vem ocorrendo no calçadão da rua Alcides Maia, na Vila Luzita: o furto de ralos grelhas. Desde janeiro, 19 dispositivos – que são fundamentais para captar a...